quinta-feira, 30 de junho de 2011

GNOSE

video


JFM - Lisboa - PORTUGAL

quinta-feira, 23 de junho de 2011

UM AMOR VERDADEIRO


Manhã agitada; 8:30. Um senhor que aparenta cerca de 80 anos dirige-se a mim, que acabara de entrar, para que lhe tirasse de um polegar dois pontos. Diz-me que está com muita pressa porque tem um outro compromisso às 9.OO. Fiz-lhe os procedimentos habituais; verifiquei a sua tensão, outros sinais vitais e pedi-lhe que aguardasse sabendo de antemão que aquela espera ia ser de mais de uma hora, antes que algum médico o pudesse atender. Vi-o olhando de repetidamente o relógio com ansiedade. Como durante o exame tinha comprovado que a ferida estava sarada, pedi a um dos médicos que lhe retirasse os pontos. Assim se fez. Durante os procedimentos, perguntei-lhe se tinha outra consulta marcada para aquela manhã, já que o via tão apressado. Disse-me que não, que penas tinha que ir á geriatria para tomar o pequeno-almoço com a sua mulher. Indaguei então pelo estado de saúde dela. Respondeu-me que já havia algum tempo que ali estava internada e que padecia de Alzheimer. Em tom conciliador disse-lhe que assim sendo, ela não se iria aborrecer pelo seu atraso. Respondeu-me que na verdade fazia mais de 5 anos que ela o deixara de reconhecer.
Surpreendeu-me. Perguntei-lhe: “E apesar não o reconhecer porque continua a encontrar-se com ela todas as manhãs?”
Acariciou-me a mão, sorriu e disse-me em jeito de despedida:
- Ela não sabe quem eu sou, mas eu sei quem ela é.
Arrepiei-me e tive que conter as lágrimas. Quando ele se afastava pensei: É este tipo de Amor que quero na minha vida. O Verdadeiro Amor não é físico nem sequer romântico. O Amor Verdadeiro é a aceitação de tudo o que é, foi, será e não será.
Gente mais feliz não é necessariamente quem tem o melhor de tudo; mas sim quem faz tudo, o melhor que pode.
A vida não é sobreviver à tempestade, mas sim dançar debaixo de chuva.


JFM - Lisboa - Portugal

quinta-feira, 16 de junho de 2011

ANUBIS

Anúbis é um deus egípcio geralmente retratado como um homem com cabeça de chacal, ou um chacal negro em posição de esfinge (este último geralmente guardando algo ou alguém) Anúbis, o Juiz dos Mortos também conhecido como Anupu, ou Anpu, é o antigo deus egípcio dos mortos e do submundo. 
  

 Anúbis no Egipto
Anúbis é filho de uma união extraconjugal entre Nephtys e Osíris, onde a primeira, esposa do terrível deus Set, faz-se passar por Ísis, a verdadeira esposa de Osíris para poder desfrutar de seu amor incondicional. Temendo a vingança cruel de Seth ao descobrir sobre sua gravidez, Néftis, também mãe de Sebek (o deus com cabeça de crocodilo) esconde o bebé Anúbis num pântano, onde mais tarde Ísis, sua tia, o encontra e cria longe do alcance maléfico de seu tio Seth.
Anúbis então adulto adquire as inúmeras tarefas como deus da morte e do submundo, e todos os aspectos a eles relacionados, como o julgamento, ritos de passagem e as tarefas de embalsamamento. Mais tarde, com a morte de Osíris por seu tio Seth, depois  de  Ísis e Néftis terem reunido os pedaços esquartejados, Anúbis voluntariasse para trazê-lo de volta a “vida”, através das práticas de mumificação e do seu infinito conhecimento sobre a pós-vida, tendo sido assim criada a primeira múmia do Egipto e do mundo.
Após este ato Osíris, que originalmente era um deus da agricultura, pela sua presença de morto-vivo e de divindade maior, “usurpa” então os aspectos de Anúbis, de deus da morte e do submundo.

Anúbis então passa a dedicar-se aos outros aspectos relacionados a Morte. Passa a guiar as almas através do submundo, até os salões do julgamento, onde ele também pesa o coração das alma contra a pena, na balança de Maat, a deusa da justiça, do equilíbrio e da verdade, em tribunal presidido por Osíris, Toth e 42 deuses menores, cada um incumbido de julgar uma das 42 confissões que a alma deveria ter feito.
Era igualmente o protetor da cidade de Cinópolis, o patrono dos embalsamadores  e dos conhecimentos obscuros. 

Anúbis fora do Egito
Após as invasões Gregas em 332a.c. e Romanas em 31a.c., onde apenas um ano mais tarde o Egito se tornaria um estado subjugado a Roma, muitos de seus deuses foram "exportados", entre eles Ísis, Toth e Anúbis, que mais tarde, formaria junto com Hermes um híbrido conhecido como Hermanúbis. E as mumificações e necrópoles tornaram-se muito mais populares e espalhadas pelos impérios Grego e Romano, que continuam a surpreender pelo seu estilo diferenciado.

 Fonte: http://www.ocultura.org.

JFM - Lisboa - Portugal
 

quinta-feira, 9 de junho de 2011

REFLEXÕES SOBRE A MORTE

A MORTE*

O que é a morte física?

A cessação de todas as funções orgânicas. A defunção.

O que há depois da morte?

A morte é profundamente significativa. Descobrindo o que ela é em si mesma, conheceremos o segredo da vida. Aquilo que continua além da sepultura somente pode ser conhecido por pessoas de consciência desperta. Estamos adormecidos, por isso se desconhece aquilo que está além da morte. Teorias há muitas, cada um pode formular a sua opinião, porém o importante é experimentar diretamente tudo aquilo que pertence aos mistérios da morte. Posso assegurar-lhe que dentro do ultra desta grande natureza vivem as almas dos defuntos.

Porque existe o temor à morte?

O temor à morte deve-se à ignorância. Sempre se teme o que se desconhece. Quando a consciência desperta, a ignorância desaparece e o temor ao desconhecido deixa de existir.

Sabemos que o corpo físico se desintegra na sepultura depois da morte, porém o que se passa com a alma? Para onde ela vai?

A alma dos defuntos continua nas dimensões superiores da natureza. Isso significa que os desencarnados podem ver o sol, a lua, as estrelas, os rios, os vales, as montanhas, da mesma forma que nós, porém de uma maneira mais esplêndida.

É verdade que depois de se levar uma vida de maldades e de libertinagem, se nos arrependemos na hora da morte, a alma pode se salvar?

Para o indigno todas as portas estão fechadas, menos uma, a do arrependimento. Naturalmente, se nos arrependemos, ainda que seja no último instante, podemos ser ajudados a corrigir os nossos erros.

Porque voltamos como fantasmas a este mundo depois que morremos?

Saiba que neste planeta existe um universo paralelo, regiões da quinta dimensão onde vivem os defuntos. Esse mundo aparentemente invisível interfere com o nosso sem com ele se confundir.

Para onde vai a alma de um ser humano que tira a vida de si mesmo?

Os suicidas sofrem muito depois de desencarnarem. Eles vivem aqui e agora na região dos mortos e um dia terão de voltar a outra matriz para renascerem neste Vale de Lágrimas, quanto então morrerão contra sua vontade ao chegarem novamente àquela idade em que se suicidaram; quem sabe se naqueles instantes estejam ainda mais desiludidos pela vida.

Espírito e alma são a mesma coisa?

Espírito se é, alma se tem. São pois diferentes.

Os animais e as plantas têm alma?

Sim ... têm. As almas vegetais são conhecidas em todas as lendas universais com o nome de Fadas. As almas animais são criaturas inocentes. Recordemos a palavra animal, se lhe tiramos o “L” ficará escrita assim: ANIMA.

Existe um julgamento superior depois da morte? Quem o faz?

Depois da morte, temos de revisionar a vida que acaba de passar. Revivemo-la de maneira retrospectiva com a inteligência e com o coração. Concluída o retrospetiva , temos de nos apresentar diante dos tribunais de Deus. Os Anjos da Lei, chamados de Senhores do Karma pelos orientais, hão-de julgarnos de acordo com as nossas ações. Desse julgamento pode resultar que passemos um período de férias nos mundos de luz e da felicidade, que regressemos a uma nova matriz para renascermos neste mundo imediatamente ou que sejamos obrigados a entrar no interior da terra onde estão os mundos infernais com todas suas penas e dissabores.

Quando um menino morre ao nascer, para onde vai a sua alma?

Está escrito que as almas dos meninos vão para o limbo, a região dos mortos, porém logo voltarão a entrar numa matriz para renascerem neste mundo.

A que se deve uma morte ao nascer?

Deve-se à lei do destino; pais que precisam passar por essa dura lição, os quais em vidas anteriores foram cruéis para com seus filhos. Com esse sofrimento melhoram, aprendem a amar.

As missas rezadas em memória do morto servem de ajuda para a alma?

Qualquer ritual ajuda as almas dos defuntos. É claro que as orações dos parentes e amigos levam consolo às almas dos falecidos.


*Texto extraído do "Livro da Morte" VM Samael Aun Weor

JFM -Lisboa - Portugal

quinta-feira, 2 de junho de 2011

MAHATMA GHANDI

Sê firme nas tuas atitudes e perseverante nos teus ideais.
Mas sê paciente, não pretendendo que tudo te chegue de imediato.
Há um tempo para tudo, e tudo o que é teu, virá às tuas mãos no momento oportuno.
Aprende a esperar o momento exato para receber os benefícios que reclamas.
Espera com paciência que amadureçam os frutos para poderes apreciar devidamente a sua doçura.
Não sejas escravo do passado nem de lembranças tristes.
Não abras uma ferida que está cicatrizada.
Não relembres dores e sofrimentos antigos.
O que passou, passou!
Doravante tenta construir uma vida nova, dirigida para o alto e caminha em frente, sem olhar para trás.
Faz como o sol que nasce a cada dia, sem lembrar a noite que passou.
Contempla a meta e não vejas as dificuldades para a atingir.
Não te detenhas no mal que fizeste; caminha no bem que podes fazer.
Não te culpes pelo mal que fizeste, mas pelo que te decidiu mudar.
Não tentes mudar os outros; sê tu o responsável pela tua própria vida e trata tu de mudar.
Deixa que o amor te toque e não te defendas dele.
Vive a cada dia, aproveita o passado para o bem e deixa que o futuro chegue a seu tempo.
Não sofras pelo que virá, recorda que “cada dia tem o seu próprio afã”.
Procura alguém com quem compartilhar as tuas lutas pela liberdade; uma pessoa que te entenda, te apoie e te acompanhe nelas.
Se a tua felicidade e a tua vida dependem de outra pessoa, desprende-te dela mas ama-a, sem lhe pedir nada em troca.
Aprende a olhar-te com amor e respeito, pensa em ti como em algo precioso.
Derrama por toda a parte a alegria que há dentro de ti.
Que a tua alegria seja contagiosa e viva para expulsar a tristeza de todos os que te rodeiam.
A alegria é um raio de luz que deve permanecer sempre acesa, alumiando todos os nossos atos e servir a todos os que se acercam a nós.
Se no teu interior há luz e deixares abertas as janelas da tua alma, por meio da alegria, todos os que passam pela rua em trevas, serão alumiados pela tua luz.
Trabalho é sinónimo de nobreza.
Não desprezes o trabalho que te toca realizar na vida.
O trabalho enobrece aqueles que o realizam com entusiasmo e amor.
Não existem trabalhos humildes.
Só se distinguem por ser bem ou mal realizados.
Dá valor ao teu trabalho, cumprindo-o com amor e carinho e assim valorizar-te-ás a ti mesmo.
Deus criou-nos para realizar um sonho.
Vivamos por ele, tentemos atingi-lo
Ponhamos a vida em causa e se dermos conta que o caminho não é esse, então há que mudar radicalmente, fazer uma paragem e experimentar novo caminho e uma mudança radical nas nossas vidas.
Assim, com outra feição, com outras possibilidades e com a graça de Deus, fá-lo-emos.
Não te dês por vencido, pensa que se Deus te deu a vida, é porque sabe que tu podes com ela.
O sucesso na vida não se mede pelo que conseguiste, mas pelos obstáculos que tiveste que enfrentar no caminho.
Tu e só tu, escolhes a forma como podes influenciar o coração dos outros e são essas decisões aquilo que se trata a tua vida.
“Que este dia seja o melhor da tua vida". 
 MAHATMA GHANDI


JFM  - Lisboa - PORTUGAL